Colégio de S. Teotónio (Coimbra)

Escalão: 2º Escalão

Planície alentejana

Idade:

14 - 20 anos

Memória Descritiva:

As alunas do Curso Profissional de Animação Socio Cultural, com idades compreendidas entre os 17 e os 20 anos começaram por escolher uma espécie de flora nativa da nossa região. Depois de analisar as opções possíveis, decidiram escolher a oliveira. O trabalho foi baseado na observação de uma oliveira existente no espaço escolar. As alunas escolheram roupas usadas, em fim de vida, provenientes da caixa de recolha que se encontra na entrada do Centro Escolar e uma saca de estopa, que estava na casa da bisavó de uma das alunas, que servia para transportar os cereais para o moinho e a respetiva farinha. Foram selecionadas t-shirts de cor cinzenta, castanha, verde estampada e uma camisa azulada. As alunas cortaram tiras fininhas que usaram para tecer o tronco e os ramos da oliveira, num tear de cartão. A partir da saca de estopa, as alunas cortaram um retângulo com tamanho A3 (29,7 X 42 cm) para servir de base. A t-shirt cinzenta e a camisa azul foram usadas para representar as nuvens. A camisa azul também foi utilizada para recortar as pequenas folhas da oliveira. Com lã preta fizeram em crochet as andorinhas e as azeitonas. A t-shirt verde estampada serviu também para representar as ervas, junto da oliveira. Estas diferentes representações foram coladas no retângulo de estopa, utilizando cola quente e cola líquida. Os alunos do Clube Eco-escolas, com idades compreendidas entre os 14 e 15 anos começaram por escolher uma espécie animal nativa da nossa região. Depois de várias propostas, decidiram escolher a ovelha, por Nisa ser uma terra de queijo muito afamado. Para base do trabalho escolheram o tecido verde de uma saia em fim de vida com as dimensões de um retângulo com tamanho A3 (29,7 X 42 cm) e para o corpo das ovelhas um pedaço de juta e capa usada para mopa, assim como para as nuvens brancas e para as nuvens azuis foi usado um tecido de pijama. Para os olhos foram usados botões. Para as ervas recorreu-se a lã usada, para representar uma paisagem alentejana. As diferentes representações foram coladas no retângulo de tecido e os olhos e as ervas foram cosidos.